Forum para testes
Você que fica observando, venha se divertir conosco. Apenas cadastre-se e seja bem vindo!

[Original] Potentes Summus

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Original] Potentes Summus

Mensagem por Hikaru em Dom Jul 01, 2012 12:19 pm

Bom, essa fic eu escrevi para um concurso no fórum Madhouse.



Nome: Potentes Summus
Capitulo: Único
Criação: Hikaru
Gênero: Ação, Ficção.




Em um reino flutuante sobre as nuvens, um homem de cabelo negro, liso e cumprido, com olhos vermelho-alaranjados e determinados, estava sentado num trono em um salão imenso, no centro de um castelo. Seu nome era Sthron, o criador do universo, deus soberano.

Sthron se sentia sozinho em seu reino, então decidiu que gostaria de ter filhos ao seu lado, então criou quatro esferas de energia que flutuavam ao seu redor, até que depois de um tempo começou a se transformar.

Uma esfera era negra, com uma película luminosa verde ao redor, ela se transformou em um homem com cabelo negro como o do seu pai, porém era ondulado e mais curto, seus olhos eram de um verde amarelado vivo e ameaçador. A ele foi dado o nome de Valentine.
Uma outra esfera, azul, com brilho dourado, deu origem a uma mulher de cabelo castanho claro, cacheado, olhos dourados e misteriosos, seu nome era Bromithia.
A terceira esfera era roxa, com um brilho turquesa e se tornou um homem loiro, cabelo curto e bem modelado, com olhos roxos e obscuros, nomeado Turandor.
Por fim, uma esfera branca com brilho alaranjado, se tornou uma mulher loira, cabelo liso e cumprido, com olhos semelhantes aos do seu pai, que demonstravam determinação, porem eram de um tom mais claro. Que foi chamada Prontera.

Os quatro filhos de Sthron receberam do seu pai, atribuições que pertencem aos seres inferiores, as quais deveriam zelar e proteger. A Valentine, o primogênito, foi dado a coragem e o sentimento. A Bromithia o conhecimento e a sabedoria. Para Turandor, foi dado as artes e os segredos do mundo. E a Prontera, a caçula, foi dada a determinação e os sonhos.

O tempo passou e Sthron criou outros filhos, porém não eram tão poderosos quanto os primeiros. Infelizmente, o pai de todos os deuses havia envelhecido, seu legado deveria ser passado a um dos seus filhos. Todo o seu poder, seu conhecimento, sua existência. Ele poderia muito bem nomear Valentine como herdeiro, afinal, ele era o primogênito, mas Sthron queria que o herdeiro fosse digno de ser um soberano. Então ele criou uma competição, onde os seus filhos deveriam competir para que apenas um, o vencedor, receba as honras merecidas.

Valentine: Mas pai! Por que insiste com essa ideia de competição. O senhor é a verdade e a verdade é o senhor, por isso tem autoridade e poder para dizer qual de nós é o mais adequado para herdar o trono.

Dizia Valentine diante do trono do seu pai, junto a seus irmãos.

Sthron: Não há nada que digam ou façam que fará com que eu mude de ideia. Amanhã, assim que a estrela mãe surgir no céu, eu darei inicio à competição e vocês devem estar preparados.
Valentine: Mas...
Bromithia: Basta irmão, não há outra opção... Vamos.

Todos voltaram para os seus aposentos, apenas Prontera permaneceu sentada na escadaria que antecede o trono.

Sthron: Não vai se preparar Prontera? Seus irmãos terão vantagem sobre você.
Prontera: Não me sinto bem, tendo de competir, sabendo que o senhor pode não estar conosco algum dia.
Sthron: Eu poderia ter escolhido a juventude eterna e a imortalidade, mas eu queria que vocês e seus irmãos soubessem que tudo nasce, cresce para um dia morrer e que é assim que tudo deve acontecer.
Prontera: Mas o que será de nós sem o senhor? Não pode nos deixar sozinhos... Não quero que o senhor se vá.
Sthron: Só eu sei como me dói tanto, ter de deixá-los. No entanto, eu sinto orgulho, pois acredito que fiz um bom trabalho criando-os de forma que poderão ser bons soberanos no meu lugar.
Prontera: Não há nada que eu possa fazer para impedir que o senhor parta?
Sthron: Infelizmente não, minha menina, mas saiba que sempre que precisar de um conselho, ou quiser se confortar, basta me procurar nos seus sonhos, que me encontrará. Agora vá, descanse um pouco, pois amanha será um longo dia.

Prontera deixa seu pai sozinho, refletindo e volta para o seu quarto.

--- xxx ---


Como dito, logo que a estrela mãe se fez presente no seu, Sthron acordou a todos no reino com o tocar de uma melodia em um instrumento de sopro. Todos os deuses se reuniram sobre as nuvens para ouvir o que seu pai tinha para falar.

Sthron: À partir desse momento estou dando inicio à competição para decidir quem será o próximo soberano e herdará todo o meu poder e conhecimento. Mas antes de dizer do que se trata, gostaria soubessem que vos amo mais do que qualquer criação já feita por mim, pois vocês são uma parte de mim e contemplam da minha divindade. Seja qual for o vencedor, quero que jamais se esqueçam de que antes de tudo vocês são um só e devem permanecer unidos, como uma verdadeira família.

Todos assentiram.

Sthron: Agora, vamos ao que interessa. A competição se baseia no seguinte. Aquele que conseguir tomar a minha arma será o herdeiro do meu trono.

Então ele fez um gesto com a mão e uma explosão de luz fez aparecer sua armadura luminosa e uma lança magnífica em sua mão.

Sthron: Venham!

Todos hesitaram. Como poderiam lutar contra o ser mais magnífico que existe e ainda tomar sua arma. Mas Sthron continuou a chamá-los e a encorajá-los, então, uns apos o outro foram avançando contra ele. Todos que se aproximavam eram lançados para longe com golpes feitos com o fundo da lança, ninguém conseguia sequer tocar no pai, quem dirá acertá-lo.

Turandor: Continuar atacando diretamente não vai funcionar, está na hora de usar o lado divino.

Então Turandor materializa um pergaminho e abre-o, depois puxa um pincel e escreve algo no pergaminho, depois o enrola e lança à sua frente. O pergaminho começa a exalar uma fumaça roxa e explode, quando a fumaça dissipa, tem um cavalo roxo, com a crina azul turquesa, usando na cara uma mascara de osso. Turandor monta e seu corpo brilha, então ele está usando uma armadura negra, com capa roxa, detalhes em azul turquesa e um capacete de ossos.

Turandor: Não queria ter de fazer isso, mas é o único jeito de por um fim nisso.

Ele cavalga segurando um arco e ronda o seu pai, disparando flechas de energia, na esperança de conseguir uma abertura. Mas Sthron nem se abala, rebatia os ataques com a lança e disparava feixes de luz contra Turandor.

Valentine: Temia que tivesse de fazer isso, mas Turandor está certo.

Pétalas de rosa vermelha começam a cair sobre Valentine, então, uma serpente verde brota do chão aos seus pés e começa a comer algumas pétalas, depois se envolve no seu braço direito e se transforma em um braço de armadura prateada, com o desenho de uma serpente talhado. As quando caem no chão começam a se aglomerar e brilham, com isso, Valentine se vê dentro de uma rosa, que se fecha ao seu redor. Poucos instantes depois, a rosa se despedaça como se fosse de vidro e ele está vestido com uma armadura prateada completa, capa vermelha e um capacete com uma crina verde e longa.

Bromithia segue o exemplo dos irmãos e materializa um livro, onde a capa e as folhas eram douradas. Então ela começa a ler e escrituras sagradas começam a sair das paginas do livro e fazer voltas ao redor do seu corpo. Então, as escrituras começam a penetrar na pele fazendo o seu corpo ficar todo tatuado com os símbolos. Depois os símbolos começam a brilhar e um circulo de magia se forma aos seus pés, o circulo se expande junto com as escrituras em uma explosão de luz e Bromithia se vê usando uma armadura dourada e com uma capa azul.

Prontera observava enquanto, Turandor era nocauteado pelo seu pai e Valentine tentando imobilizar Sthron com cipós de espinhos que britavam do chão e se enroscavam nos membros dele. Mas o deus supremo rompia todos os cipós e lançava uma rajada de energia contra o filho. Bromithia lançava magias que se projetavam em forma de escrituras contra o pai, que eram barradas por um escudo de energia.

Tudo aquilo lhe parecia tão errado. Todos estavam agindo individualmente, dessa forma, nunca conseguiriam fazer um arranhão sequer em Sthron. Tudo se tornava claro para ela agora, o seu pai sabia que eles não conseguiriam um feito como esse se não juntassem as forças e lutassem lado a lado.

Prontera: Vocês não conseguirão o que querem se continuarem a agir individualmente, nunca conseguiremos pegar a arma se lutarmos sozinhos, mas se nos unirmos, poderemos vencer. Nós somos feitos da metade do nosso pai, que foi dividida em quatro partes, então, se nos unirmos, teremos o mesmo nível de poder que ele.

Os outros ouviram as palavras vindas de Prontera e perceberam o que Sthron havia planejado ao fazer aquele desafio.

Sthron: Perceberam agora? Sozinhos vocês são apenas uma parte de um todo, mas juntos vocês são o todo completo. Não poderia escolher um herdeiro entre vocês, pois vocês não estavam prontos para herdar o trono. Venham! Tomem essa lança da minha mão e tornem-se soberanos!

Os quatro irmãos se olham e assentem com a cabeça. Prontera olha para cima e os seus olhos brilham e um feixe de luz laranja vem do alto e cai na sua frente, no lugar da queda está uma espada. Ela pega a espada e a ergue, então, outros feixes de luz começam a vir e colidir contra o seu corpo, formando uma película de laranja e levemente luminosa, depois a película brilha intensamente e penas luminosas começam a surgir, flutuando por todos os lados até que a luz se acaba e Prontera está usando uma armadura branca com uma capa feita de penas num tom alaranjado.

Bromithia inicia a conjuração de uma magia, enquanto isso, Turandor dispara uma chuva de flechas contra Sthron, que começa a rebatê-las com a lança, mas Valentine faz surgir os cipós e eles começam a diminuir os movimentos de Sthron. O pai supremo se vê em apuros e tenta usar magia, mas Prontera avança e começa a atacá-lo com golpes de espada, então Sthron se viu tendo de defender os golpes de Prontera, rebater as flechas de Turandor, e romper os cipós de Valentine. Aquela era a oportunidade perfeita para um ataque decisivo e era isso que Bromithia havia terminado de fazer. Ela pronunciou algumas palavras e uma rajada de energia em proporções monstruosas caiu do céu sobre Sthron, que foi lançado para longe, deixando sua lança cair.

--- xxx ---


Sthron nomeou os seus quatro primeiros filhos como seus herdeiros e no momento da sua partida dividiu seus dons em quatro partes e atribuiu de forma igual a eles. Agora os quatro estão sentados no na sala do trono, cada um no seu próprio trono, governando o universo quase tão bem como o seu pai fazia.

_________________
avatar
Hikaru
Dominus
Dominus

Masculino Mensagens : 547
Prata$ : 2871
Reputação : 0
Data de inscrição : 25/10/2011
Idade : 105

http://forumdetestes.livreforum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum